skip to Main Content

Nós, do Fórum do Campo Lacaniano de São Paulo, nos somamos às inúmeras manifestações de indignação e perplexidade pela operação policial truculenta, autoritária, violenta e desumana, ordenada e comandada pelo prefeito de São Paulo, João Dória Junior, com a colaboração do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, no dia 21/5/17, na Cracolândia. Em contradição com todas as concepções científicas de atendimento e recuperação de usuários de drogas, João Dória Junior optou por tratar os usuários de drogas como criminosos. Pior que isso: como não portadores de direitos civis como os demais cidadãos, podendo, portanto, ser expulsos arbitrariamente do espaço público. Agora temos bem claro o sentido da afirmação por ele feita na Federação do Comércio em São Paulo, no dia 5 de dezembro de 2016, de que “a cidade é um lixo vivo, parece um filme escabroso, hoje a cidade tem 16 mil moradores de rua”. E também da afirmação na entrevista para a imprensa, após a operação policial: “a área agora está livre e limpa”. Não, prefeito João Dória Junior: pessoas não são “lixo vivo”! O uso excessivo e prejudicial de drogas é um sintoma e, como tal, merece ser escutado e tratado: como um problema de saúde pública e não como caso de polícia ou de limpeza pública. Acrescente-se aos fatos, que, não apenas os usuários de drogas da Cracolândia foram tratados de forma desumana, violenta e autoritária, mas também os moradores e comerciantes da área: alguns deles foram escorraçados pela ação de escavadeiras, que demoliram prédios com pessoas ainda dentro deles, provocando ferimentos. Como disse em entrevista à imprensa um membro do Ministério Público, promotor da área de saúde, essa ação foi uma “selvageria”. Cabe a nós e a toda a sociedade instarmos energicamente pela responsabilização civil e criminal dos responsáveis.

São Paulo, 26 de maio de 2017.

Back To Top